A importância da linha ofensiva

Muito se fala que o quarterback é o cérebro de uma equipe de futebol americano, e de fato é verdade. Ele é o responsável pela decisão das jogadas (juntamente com o coordenador ofensivo), além de ser o responsável por ler o posicionamento da defesa adversária e fazer as mudanças necessárias para executar a jogada com sucesso.
Porém, o quarterback não consegue colocar nada efetivamente em prática se não tiver a proteção adequada: o jogo aéreo será prejudicado (uma vez que o QB não tem tempo suficiente para lançar a bola de acordo com a rota combinada com o wide receiver) e o jogo terrestre sofrerá para conseguir espaço suficiente para conquistar as jardas planejadas.
*Se ainda não sabe exatamente o posicionamento da linha ofensiva, veja nossa explicação nessa Seção: Regras Parte 2 – Posicionamentos.
Essa proteção, imprescindível no futebol americano, é chamada de Linha Ofensiva (Offensive Line) e esse ano, a OL de um time em especial vem chamando bastante atenção: a OL do Dallas Cowboys.
Muito do sucesso da grande temporada da equipe deve-se ao ótimo trabalho da linha ofensiva, visto que a equipe hoje é a 2ª melhor no jogo terrestre e apenas a 20ª. no jogo aéreo.
Ezekiel Elliott, running back e maior destaque da equipe, vem se beneficiando muito com o trabalho que a OL dos Cowboys vem fazendo. A média de jardas conquistadas por Elliott a cada corrida é de 4.9 por tentativa, e hoje ele lidera o ranking dos running backs de 2016 com 1.392 jardas. Porém, sabe qual a média de jardas que a OL do Dallas consegue “liberar” para seus RBs? 4.8! Isso mesmo, praticamente a média de jardas conquistadas por Ezekiel Elliot é em consequência do trabalho desenvolvido pela ótima sua OL. (Puxando o gancho, esse é um dos motivos pelo qual, na minha opinião, ele não deve ser considerado MVP da temporada, mas esse é um assunto para outra matéria).
Por questão de curiosidade, resolvi pesquisar os números da linha ofensiva dos Cowboys, para saber efetivamente o quão superior ela é com relação a outros times. E qual foi a minha surpresa ao ver que eles não lideram quase nenhuma estatística quando falamos de números? Estranho isso não? Sim e não, visto que o jogo de futebol é composto por N outras peças que desempenham funções importantes em campo e influenciam os números gerais da equipe, porém é no mínimo interessante.
Parte do sucesso de Dak Prescott tem sido atribuído a essa ótima OL, mas por esses números, podemos ver que o QB tem sofrido bastante contato (em comparação com as OL’s mais bem classificadas estatisticamente) durante essa temporada: 21 sacks e 57 hits.

Fonte: Site NFL
Mas, se tem uma coisa que essa OL dos Cowboys está sendo dominante é com relação a 3as. e 4as. descidas na linha de 1 ou 2 jardas (novamente provando a eficiência do jogo corrido), já que dificilmente os QBS optam por fazer um passe nessas situações (exceto Russel Wilson..rs).
A OL dos Cowboys vem jogando realmente em alto nível, e durante os jogos isso é bem fácil de ser identificado, mas é interessante perceber que em várias estatísticas, outras OLs também estão fazendo um ótimo trabalho, e podemos ver que a maioria dos times que estão nos Playoff possuem uma OL consistente, ou seja, é bem difícil ir longe em uma competição quando o time não possui uma OL confiável.
Continuando com a análise, fiquei curiosa ao ver que o quarterback menos pressionado é Derek Carr do Oakland Raiders, porém, também é interessante ver que mesmo sendo o QB menos pressionado, ele tem números inferiores até mesmo que Dak Prescott por exemplo. Veja na tabela abaixo a análise feita usando como base o ranking das OL’s pela métrica de SACKS versus o ranking dos QB’s (métrica de rate):

Fonte: Site NFL
Obviamente que muitas dessas métricas (passes completos, touchdowns, etc) dependem de outros fatores, como os recebedores de cada time por exemplo, mas ainda assim, é interessante ver que talvez o real beneficiado pelo ótimo rendimento da OL na temporada seja mais Derek Carr do que Dak Prescott, como vem se dizendo, e ainda assim, Dak consegue ter um ótimo desempenho em campo.
Poderíamos passar horas fazendo diversos tipos de análises em cima desses números, e comparando com o resultado obtido pelos times a partir deles, mas é importante ter em mente que cada um desempenha um papel importantíssimo.
Não adianta apenas um setor da equipe ter uma boa performance, enquanto os outros não acompanham o ritmo, pois o time inteiro acaba sofrendo as consequências, e sem dúvidas nenhuma, a OL tem papel fundamental no sucesso do ataque, e talvez esse conceito de trabalho em equipe, seja um dos grandes atrativos desse esporte mágico e imprevisível.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: