Análise Playoffs: Raiders x Texans

Oakland Raiders Três vezes campeão do Super Bowl e com uma campanha de 12-4 nesta temporada, Raiders se classificou para os playoffs através da Wild Card, perdendo o título da divisão para o Kansas City Chiefs, que com a mesma campanha (12-4) ficou com o título pelo critério de desempate. Com esses números, os Raiders empolgaram muitos fãs. Foi um dos melhors ataques da liga e a ótima temporada do candidato a MVP, Derek Carr os deixou a um passo de brigar fortemente pelo título, se não fosse a grave lesão sofrida no jogo contra os Colts, onde Carr fraturou a fíbula e se viu fora da temporada.

Houston

Texans Houston com uma campanha de 9-7 conseguiu ser campeão da AFC South, uma divisão bem fraca onde empatou em números de campanha com o segundo colocado, Tennessee Titans. Texans veio pra temporada apostando em Brock Osweiler, depois de trazê-lo por uma alta quantia em dinheiro e grandes promessas depois de alguns jogos em Denver, porém nem tudo aconteceu como o previsto. Osweiler teve um baixo aproveitamento e foi para o banco, dando lugar a Tom Savage que vinha regular até sofrer uma lesão no jogo contra o Titans, e Osweiller retornou.
ANALISANDO O CONFRONTO: Texans-Raiders
Os Raiders jogarão com o quarterback rookie, Connor Cook, que jogou apenas 30 snaps em toda sua carreira de NFL, e todos na semana 17, ou seja, na última rodada, e ainda a partir do segundo quarto do jogo, e que perderam para os Broncos (que já estavam eliminados) por 24 a 6.
Cook entrou no lugar de Matt McGloin, que deixou o jogo com uma lesão no ombro, que já estava substituindo o QB cotado a MVP, Derek Carr que está fora da temporada com uma lesão na tíbia.
Apenas a título de curiosidade, Cook será o 1o rookie QB desde 1966 a começar um jogo de playoff sem ter começado nenhum jogo de temporada regular sequer. Tá facil pro rapaz né, pouca pressão em cima dele! O QB acertou 14 dos 21 passes tentados, 66.7%, lançou para 150 jardas, média de 7 por tentativa, e terminou a partida com um rate de 83.4. Considerando que Brock Osweiller dos Texans, teve vários jogos com rates muito inferiores a esse, até que os números do rookie não foram tao ruins.
Aparentemente, os Raiders dizem ter gostado da performance do jogador, e disseram que acreditam nele no jogo contra os Texans (afinal, eles também não têm outra opção a não ser acreditar).
Ofensivamente falando, os Raiders terminaram a temporada em 6o lugar com relação a jardas por jogo, e em 7o. em pontos por partida. O time cedeu apenas 14 turnovers, sendo a 4a melhor nesse quesito. A linha ofensiva foi a melhor em termos de proteção ao QB, permitindo apenas 18 sacks.
A defesa, que sempre foi o maior problema dos Raiders, melhorou progressivamente, e acabou como a 11a em jardas cedidas por jogo. O time também forçou 30 turnovers, ficando em 2o.
Os Raiders estão com alguns desfalques importantes, como o strong safety Nate Allen, que está no protocolo de concussão após o jogo contra os broncos, o left tackle Donald Penn, e o left guard Kelechi osemele. Tudo indica que o strong saftey Karl Joseph está perto de retornar, assim como Stacy McGee.
Ambas as equipes tem um jogo corrido forte e explosivo, o que provavelmente será mais explorado, uma vez q Osweiller dos Texans teve uma temporada péssima em termos de jogo aéreo, e Carr, que era a maior arma da equipe dos Raiders, está fora. Convenhamos que com a saída do Carr, e com a volta do Osweiller, esse jogo não aparente ser um dos mais empolgantes de ser assistido, afinal, os Texans, são o time mais fraco dos playoffs, mas como a divisão deles foi bem fraca, eles conseguiram a vaga. Raiders tinham tudo para ganharam tranquilamente dos Texans, mas agora sem Carr a situação fica em aberto.. Muito dificilmente será um jogo com belas jogadas aéreas ou passes em profundidade.
O Texans vem para o Wildcard sentindo que têm uma grande chance de vencer pois os Raiders jogarão sem Derek Carr, peça chave para a vitória deles na Semana 11, naquele jogo ocorrido na Cidade do México. Tom Savage que iria começar o jogo no lugar do contestado Brock Osweiler está no protocolo de concussão depois de um hit na derrota dos Texans para os Titans no último final de semana e provavelmente não jogará. Osweiler não teve uma boa temporada nem de longe lançando para 2597 jardas com um fraco índice de 15 TD para 16 INTS.
Os Texans procurarão correr com a bola contra a defesa dos Raiders e é esperado que Lamar Miller volte depois de duas semanas fora com uma lesão no tornozelo. Miller teve uma grande temporada com jogo terrestre, coletando 1073 jardas corridas e 5 TDs, e será, com certeza, alvo de segurança, seja quem for o QB. Houston não tem uma média de pontos marcados por jogo tão alta, girando em torno de 17.4, sendo apenas o 29º time no ranking da Liga nesse tocante.
A defesa de Houston será a chave para a vitória dessa vez. Se eles jogarem tudo o que sabem, tem uma grande chance de ganhar essa batalha já que Carr está fora da jogada pois fazem um bom trabalho bloqueando passes, sendo o 11º time no ranking da NFL, permitindo apenas uma margem de 20.5 pontos por jogo.
A defesa definitivamente é o ponto alto dessa franquia, sendo a 2ª em pass defense. Não dá pra imaginar McGloin ou Cook fazendo muita coisa pelo ar, e eles também tem sucesso bloqueando corridas, então não será fácil para Murray. Basta lembrar, como eu já disse, que o jogo corrido será a arma para enfrentar a 23ª defesa da liga em rush defense. Miller terá a seu favor um ambiente não muito hostil para ter sucesso pelo chão, fazendo jus ao que dizem “defesa ganha jogos sim”.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: